Jardim de Infância: pilar do saber-estar/ser/fazer

“Grande parte das coisas que preciso de saber sobre a vida, sobre o que fazer e como ser, aprendi no jardim-de-infância. A sabedoria, afinal, não estava no topo de uma montanha chamada Universidade mas sim na caixa de areia da minha escola."

"Eis as coisas que aprendi:

  • A compartilhar... a não fazer batota... a não magoar os outros... a arrumar o que desarrumei... e a limpar o que sujei.
  • A não tirar o que não me pertence, a pedir desculpa quando magoo alguém.
  • A lavar as mãos antes de comer. A puxar o autoclismo.
  • Aprendi que o leite faz bem à saúde. Aprendi a aprender, a pensar e também que desenhar, pintar, cantar e dançar era bom... a ter cuidado com o trânsito... a dar a mão, a ser solidário.
  • Vi a semente a crescer no copo de plástico; as raízes descem e a planta, sobe embora não saiba porquê, gosta-se.
  • Os peixes dourados, os hamsters, os ratinhos brancos... (e mesmo a planta no copo de plástico) morrem. Nós também.
  • E lembro-me dos primeiros livros, da primeira palavra que aprendi: vê! É isso que tenho feito sempre.
  • Devolver o que não é nosso e de limpar o que sujamos.
  • E também sei que é verdade, que ainda é verdade, que no mundo o melhor é dar as mãos... e ficarmos juntos.”  (ROBERT FULGHUM - "Tudo o que eu devia saber na vida aprendi no Jardim-de-Infância"

A educação pré-escolar, tal como está estabelecido na Lei-Quadro (Lei n.º 5/97, de 10 de feve­reiro), destina-se às crianças entre os 3 anos e a entrada na escolaridade obrigatória, sendo con­siderada como “a primeira etapa da educação básica no processo de educação ao longo da vida”.

Na educação de infância, a aprendizagem está intimamente interligada com o desenvolvimento, sendo da responsabilidade de cada educador/a, em colaboração com a equipa educativa do estabelecimento educativo/agrupamento de escolas a construção e gestão do currículo no jardim de infância, baseando-se nas Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar cabendo-lhes organizar, planear e avaliar o ambiente educativo. Na orientação global do trabalho pedagógico, as Orientações Curriculares apresentam três Áreas de conteúdo com domínios e subdomínios, a Continuidade Educativa e Transições que irão ser abordadas posteriormente.

O jardim de infância é o local privilegiado para a criança construir o desenvolvimento e a aprendi­zagem que se processa de forma holística. Esta aprendizagem holística, tal como referem as Orientações Curriculares é a “forma complexa e inter-relacionada da aprendizagem da crian­ça, em que as dimensões cognitivas, sociais, culturais, físicas e emocionais se interligam e atuam em conjunto.A aprendizagem processa-se “a partir do que já sabe e é capaz de fazer, cons­truindo, organizando e relacionando novos sentidos sobre si própria e o mundo que a rodeia. Este pro­cesso resulta das experiências proporcionadas por contextos, por interações com pessoas, com objetos e representações, que apoiam o desenvolvimento de todas as suas potenciali­dades intelectuais, físicas, emocionais e criativas." (in Orientações Curriculares).

Na organização do estabelecimento educativo na educação pré­-escolar, é relevante e primordial a organização do espaço, do tempo e as relações entre os diferentes intervenientes que se irá tratar futuramente.

Departamento da Educação Pré-escolar

          As Educadoras de infância 

(Ana Temporão, Graça Pombo, Maria José Almeida, Ofélia Amoedo, Teresa Valinho)

 Referências Bibliográficas:

-ROBERT FULGHUM - "Tudo o que eu devia saber na vida aprendi no Jardim-de-Infância" Ideias incomuns sobre coisas banais, Editora Best Seller, 3ª Edição, 1986, 1988

-Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar  - Despacho n.º 9180/2016 - Série II de 2016-07-19.

Ano Letivo: